Skip to content

Corpo de João Goulart será exumado no dia 13 de novembro

17/10/2013

por Matheus Leitão, de Brasília | Folha de S. Paulo

A exumação do corpo do ex-presidente João Goulart (1919-1976) foi marcada para o dia 13 de novembro em São Borja, no Rio Grande do Sul.

Com o objetivo de investigar a causa da morte do político, os restos mortais de Jango serão trazidos para o Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal, em Brasília, que fará “exames antropológicos e de DNA”.

Posteriormente, exames toxicológicos serão realizados em laboratórios internacionais contratados pelo governo federal.

Goulart morreu em dezembro de 1976, segundo a versão oficial, devido a um ataque cardíaco. Todavia, a exumação é o primeiro passo para apurar se Goulart, deposto pelo golpe militar de 1964, foi assassinado enquanto vivia no exílio, na Argentina.

“O presidente morreu na Argentina na vigência da operação Condor, um pacto de terror e morte das ditaduras do Brasil, da Argentina, do Uruguai, do Chile, do Paraguai com o apoio dos EUA e de outros países que tinham interesses regionais no nosso país”, disse a secretária Nacional dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, nesta quarta-feira (16) após anunciar a data da exumação.

A operação Condor foi uma parceria das ditaduras do Cone Sul para prender (e matar) opositores no exterior.

“Nós estamos em plenas condições de realizar esse procedimento em busca da verdade do que ocorreu com o presidente. […] A exumação de João Goulart é a exumação da ditadura no Brasil”, afirmou.

Rosário lembrou que o pedido da investigação partiu de familiares de Jango. “Nós estamos atendendo esse pedido da família porque hoje podemos dizer com segurança que ele foi perseguido por agentes da ditadura todos os dias da sua vida”, disse Rosário, ao lado de parentes de Jango.

“Estamos contando com peritos de várias regiões que trabalham na busca da verdade, da memória, nos caminhos da justiça que vivenciaram e vivenciam ainda as marcas da operação Condor”.

Segundo a ministra, um mapeamento feito pela Polícia Federal –com informações históricas das substâncias tóxicas usadas na época– será feito primordialmente. “O ponto de partida é o tipo de substância que era usada naquele período”. Técnicos da PF também estiveram presentes no anúncio.

One Comment leave one →
  1. 17/10/2013 18:15

    Gostaria também que o Governo Brasileiro propusesse uma investigação mais rigorosa a respeito da morte do presidente Juscelino, a qual ocorreu em circunstâncias muito misteriosas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: