Skip to content

Jornadas Internacionais „Hannah Arendt“ chegam ao Brasil

04/10/2013

IV Jornadas Internacionais Hannah Arendt | Sobre a Revolução

.

UNICAMP – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas – Auditório I

Campinas, 21 a 24 de outubro de 2013.  

Inscrições abertas para participação como Ouvinte.

 

Em 1963, Hannah Arendt trouxe a público uma das obras mais marcantes de sua trajetória intelectual e do próprio século XX. Embora “On Revolution” não tenha causado o mesmo impacto imediato de obras anteriores – Origins of Totalitarianism e The Human Condition -, hoje pode-se perceber a mudança que esta obra provocou no debate filosófico do período. Quando as discussões estavam dominadas pela polarização entre marxistas e liberais, Arendt deslocou o sentido da compreensão dos processos revolucionários para o que ela denominava constitutis libertatis, a fundação de corpos políticos capazes de sustentar a ação política e, com isso, a própria liberdade em detrimento da violência. Motivada pelo processo revolucionário Húngaro, Arendt pode fazer considerações que escapavam ao debate filosófico-político de seu tempo, chegando a tecer considerações ousadas como questionar o já estabelecido estatuto vitorioso da Revolução Francesa.

Cinquenta anos depois, o mundo moderno não está menos agitado. Na aurora do século XXI, a América Latina apresenta o florescimento de governos populares ou “Revolucionários”, como observamos na Bolívia, Venezuela e Equador; os povos árabes, encorajados por levantes na Tunísia e no Egito, buscam derrubar ditaduras decenais e estabelecer governos democráticos; de maneira mais tímida, a crise econômica que assola a zona do euro conduz portugueses, espanhóis, gregos e chipriotas a questionar a legitimidade de seus governos e a exigir uma reorganização política em seus países. Portanto, embora possamos questionar a atualidade e a coerência desta obra no âmbito de discussões que caracterizam a própria vida acadêmica, parece ser notório o grau de provocação que o tema das revoluções pode gerar neste início de século. É difícil desconsiderar a possibilidade de que vivemos momentos de intensa transformação política. Deste modo, tais acontecimentos parecem nos convidar a um retorno a On Revolution no momento oportuno em que a obra completa 50 de publicação e de discussões acumuladas a seu respeito.

Objetivos

  • Possibilitar o debate em torno ao legado da filósofa Hannah Arendt (1906-1975) na filosofia contemporânea, mais especificamente, em sua obra: “On Revolution”.
  • Trocar diferentes experiências de leitura acerca da obra “On Revolution”;
  • Dialogar com as demais Ciências Humanas (História, Sociologia, Antropologia, Ciência Política) para buscar a compreensão de eventos políticos e sociais contemporâneos e a possibilidade de interpretá-los à luz de “On Revolution”;
  • Aprofundar a Rede de colaboração do grupo de pesquisa sediado na UNICAMP (Grupo de Filosofia Política) com professores de outras instituições (nacionais e estrangeiras);

Para inscrever-se e saber mais sobre o evento, clique aqui.

Fonte: IFCH – UNICAMP

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: