Skip to content

Hitler, um filme da Alemanha

26/08/2008

https://i2.wp.com/www.samliquidation.com/images/hitler1.jpg

HITLER, UM FILME DA ALEMANHA

30 e 31 de agosto de 2008

A Cinemateca Brasileira, com o apoio do Goethe Institut de São Paulo, exibe novamente Hitler, um filme da Alemanha (1977), de Hans-Jürgen Syberberg, numa maratona de 8 sessões no final de semana. Última parte da trilogia formada por Ludwig, réquiem para um rei virgem (1972) e Karl Mayer – à procura do paraíso perdido (1974), Hitler, um filme da Alemanha, caminha de maneira radical na contramão das técnicas tradicionais da linguagem cinematográfica. Com um estilo de representação anti-naturalista, o filme retoma de forma original a tradição estética de Méliès e Eisenstein, a música de Wagner e o teatro épico de Bertolt Brecht para escancarar as artimanhas do espetáculo nazista. No filme, atores e bonecos representam as personagens-chave da história num cenário de circo macabro, de paisagens kitsch e de cinejornais silenciosos projetados como pano de fundo. Syberberg procura desvendar o fenômeno nazista em suas raízes e contextos mitológicos, confrontando-o com Ludwig II, Karl May e Richard Wagner, marcos da história e da cultura alemãs. Proibido na Alemanha, Hitler… foi exibido no Festival de Londres em 1977 e no Festival de Cannes em 1978. Celebrado pela crítica e por grandes personalidades da história da cultura – Susan Sontag dedicou a ele um longo e elogioso artigo – foi distribuído nos Estados Unidos sob os cuidados de Francis Ford Coppola que o considerou “uma obra que faz com que todos os filmes de hoje em dia pareçam triviais ou fora de moda”. A Cinemateca Brasileira oferece mais uma vez ao público a chance de assistir às quatro partes deste marco do cinema moderno alemão. Classificação indicativa: 16 anos.

CINEMATECA BRASILEIRA

Largo Senador Raul Cardoso, 207

próxima ao Metrô Vila Mariana

Outras informações: (11) 3512-6111 (ramal 215)

www.cinemateca.gov.br

Ingressos: R$ 8,00 (inteira) / R$ 4,00 (meia-entrada)

Atenção: Estudantes do Ensino Fundamental e Médio de Escolas Públicas têm direito à entrada gratuita mediante a apresentação da carteirinha.

PROGRAMAÇÃO

30.08

I SÁBADO

14h00

Hitler, um filme da Alemanha – O Graal

16h00

Hitler, um filme da Alemanha – Um sonho alemão

18h30

Hitler, um filme da Alemanha – O Graal

20h30

Hitler, um filme da Alemanha – Um sonho alemão

31.08

I DOMINGO

14h00

Hitler, um filme da Alemanha – O fim de um conto de inverno

16h00

Hitler, um filme da Alemanha – Nós, filhos do inferno

18h30

Hitler, um filme da Alemanha – O fim de um conto de inverno

20h30

Hitler, um filme da Alemanha – Nós, filhos do inferno

FICHA TÉCNICA E SINOPSE

Hitler, um filme da Alemanha

(Hitler – ein Film aus Deutschland), de Hans-Jürgen Syberberg

República Democrática Alemã/Reino Unido/França, 1977, 35mm, cor/pb, 442′ I Legendas em inglês I Exibição em DVD

Cineasta inclassificável, Syberberg misturou literatura, teatro, ópera e música na composição de seu cinema. Contemporâneo da geração do Novo Cinema Alemão, nunca se deixou identificar com facilidade. Apesar disso, sua obra mantém traços em comum com as de Alexander Kluge e Rainer Werner Fassbinder, entre os quais a assumida referência ao teatro de Brecht e a necessidade de enfrentar os traumas da história alemã. Dividido em quatro partes –

O Graal (parte1), Um sonho alemão (parte 2), O fim de um conto de inverno (parte 3) e Nós, filhos do inferno (parte 4) – o filme traça o caminho de ascensão e queda do terceiro Reich.

SOBRE HANS-JÜRGEN SYBERBERG

Filho de uma família de propietários rurais, Hans-Jürgen Syberberg nasceu em 1935. Sua paixão pela fotografia e pelo cinema o levou até o Berliner Ensemble, grupo de teatro fundado pelo dramaturgo Bertolt Brecht, onde o jovem de 17 anos filmou com uma câmera 8mm cenas de montagens e ensaios do grupo. Em 1953, Syberberg transferiu-se para Berlim Ocidental de onde viajou para outras cidades européias. Em 1956, iniciou em Munique seus estudos sobre literatura e história da arte, formando-se em 1963. Dois anos depois, fundou sua própria produtora e realizou um documentário sobre Romy Schneider, Romy, Anatomie eines Gesichtes. Em 1972, Syberberg dirigiu Ludwig, Réquiem para um Rei Virgem, através do qual descobre a música de Wagner. A experiência o incita a realizar a trilogia sobre cem anos de história alemã: depois de Ludwig, Syberberg filma Karl May – à procura do paraíso perdido e Hitler, um filme da Alemanha.

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: